quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Prestigio e nobreza italiana na entrega do I Prêmio de Estudos Musicológicos- SP

Cerimônia de entrega do I Prêmio de Estudos Musicológicos
Euro-Latino-Americanos “Príncipe Francesco Maria Ruspoli” 2014
na Biblioteca Mario de Andrade

O vencedor da primeira edição do concurso
foi o chileno José Manuel Izquierdo König


O vencedor do I Prêmio de Estudos Musicológicos Euro-Latino-Americanos “Príncipe Francesco Maria Ruspoli” 2014 foi o chileno José Manuel Izquierdo König com o trabalho “Ilustración y contrailustración de un cuarteto arequipeño (o cómo escribir un yaraví en el estilo de Haydn)” e  a cerimônia de entrega acontece no próximo dia 05 de setembro, na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, instituição que abriu pela primeira vez com este concurso a seção de musicologia. A programação contou também com a apresentação do Quarteto Quinta Essência e de conferências sobre musicologia envolvendo o período barroco por especialistas da área (ver anexo os temas e  palestrantes convidados).  A primeira edição para a América Latina do Concurso Internacional de Música Barroca e Estudos Musicológicos “Príncipe Francesco Maria Ruspoli”, foi realizado pela Associação Ruspoli, com sede em São Paulo, em parceria com o Centro Studi e Richerche Santa Giacinta Marescotti, da Itália, o qual já promovem o Concurso na Itália e estão na sexta edição.
A Associação Ruspoli concede  ao vencedor autor do trabalho a quantia em dinheiro de R$ 3.000,00 (três mil reais) e uma viagem a Vignanello, para acompanhar a premiação da VI Edição do Concurso Internacional de Música Barroca e Estudos Musicológicos “Príncipe Francesco Maria Ruspoli”, que acontecerá nos dias 4 e 5 de outubro no Castelo Ruspoli. O vencedor e outros eventuais trabalhos apresentados e especificados pelo juri do concurso, também terão a pesquisa publicada na coleção "Miscelânea Ruspoli ", editado pela renomada editora italiana,  LIM - Libreria Musicale Italiana.
O concurso foi destinado à estudantes e pesquisadores em início de carreira acadêmica,  cidadãos de países da América Latina e do Caribe. Os candidatos inscritos enviaram os estudos sobre a música barroca, ensaios histórico-musicológicos relativos às relações musicais entre a Europa e a América Latina entre os séculos XVII e XVIII até o início do século XIX.
A importância do concurso para a América Latina, Europa, e suas relações culturais, é atestada ainda pelo apoio de orgãos e instituções nacionais e internacionais voltados à cultura, como o Ministério da Cultura do Brasil, Comune de Vignanello, Prefeitura de Itu, Consolato Generale d’Italia a San Paolo, Instituto Italiano di Cultura São Paulo, International Musicology Society, Cultura Artística, e Núcleo Caravelas.
Mais informações no site da Associação Ruspoli (www.associacaoruspoli.com.br).

MECENAS DAS ARTES, A ITALIANA GIADA RUSPOLI PROMOVE OINTERCÂMBIO CULTURAL ENTRE BRASIL E ITÁLIA ATRAVÉS DA MÚSICA BARROCA

A italiana Giada Ruspoli, radicada no Brasil, divide seu tempo entre a Itália e São Paulo há mais de 35 anos – é casada com o brasileiro Luiz Misasi e tem dois filhos paulistanos. Descendente de Papas, de Santa, e herdeira de uma família italiana de príncipes, Giada tem se dedicado em manter a tradição familiar em promover a música barroca e o intercâmbio cultural entre o Brasil e a Itália. A íntima ligação da nobre família com a música barroca, em especial, vem de séculos. Seu ancestral do século XVIII, o Príncipe Francesco Maria Ruspoli, foi um mecenato do período barroco. Em seu Castelo Ruspoli (hoje propriedade de Giada e de sua irmã, Claudia, e onde vive metade do ano), bucólico vilarejo de Vignanello ao norte de Roma, Francesco recebeu grandes compositores, como Handel. “Handel foi hóspede em Vignanello de 1707 a 1709, onde compôs 100 cantatas, Gloria, Armida Abandonada, e A Ressurreição, obra-prima da música sacra barroca”, conta Giada. Outros grandes nomes da música barroca, como Antonio Caldara e Jacques Hottetere, também foram hóspedes do histórico castelo e do príncipe, enquanto importantes músicos, como Alessandro Scarlatti, dedicaram ao príncipe suas composições.  
Giada Ruspoli e vista do Jardim Labirinto de seu Castelo em VignanelloPara resgatar e homenagear os seus antepassados, Giada Ruspoli criou em 2008, em Vignanello, o Centro Studi e Richerche Santa Giacinta Marescotti (Centro de Estudos e Pesquisa Santa Giacinta Marescotti) – também antepassada da família – e entre as atividades, o Prêmio Internacional de Música Barroca “Príncipe Francesco Maria Ruspoli”, em homenagem ao familiar mecenas. "Foi a jovem musicista Renata Pereira, do grupo brasileiro Quinta Essentia, quem me inspirou para o prêmio", declara Giada.No ano seguinte, no Brasil, criou também a Associação Ruspoli, em São Paulo, para promover intercâmbios culturais entre os dois países.
 Vips no Evento:

 Frederico Lohmann, Superintendente do Teatro Cultura Artistica
 Gioconda Bordon, diretora do Cultura Artistica
 Gilmar Mesquita, Presidente da Associação dos Amigos da Maya Orquestra Filarmônica
 Giada Ruspoli criadora do Prêmio
 Flávia Liz
 Linda Micales
 Luis Antonio Bagolin , Diretor da Biblioteca Mário de Andrade
 Maestro José Muniz
 Professor Paulo Castagno da Unesp
 Giorgio Monari Sapienza da Universidade de Roma
 Maureen Bisillat
 Príncipe Francesaco Ruspoli
 Renato Imbroisi, designer de artesanato
 Rosella Giacometti
 Tina Curi
Silvia Ribeiro




Por Ovadia Saadia- Editor SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário